Finanças

Quando usar o planejamento financeiro pessoal? Descubra

Fazer um planejamento financeiro pessoal pode te salvar de uma dor de cabeça no futuro. Através dele, é possível organizar suas finanças, construir uma reserva emergencial, sair do vermelho e até fazer um fundo financeiro para você poder realizar seus sonhos materiais. E tudo isso, apenas melhorando a forma como você lida com o dinheiro e com seus gastos.

Mas você sabe quando o planejamento financeiro pessoal? Se a sua resposta for não, ou, se você tem curiosidade em descobrir mais sobre o tema, então esse artigo é para você. Nele, abordaremos o que é, como fazer e inúmeras dicas sobre como melhorar suas finanças através da organização. Além disso, ensinaremos como montar a planilha de controle financeiro Confira abaixo!

Veja também:
Qual a vantagem de ter uma conta MEI? Veja como abrir uma
O que é o fluxo de caixa? Como se faz o fluxo de caixa?
O que são juros simples e juros compostos?

Como fazer o planejamento financeiro pessoal?

Uma das formas mais usadas para organizar as finanças é o planejamento financeiro pessoal. Através dele, você pode ter uma ideia específica do que está acontecendo com seu dinheiro (já se perguntou porque seu salário acaba antes do fim do mês?) e propor novas metas de gasto compatíveis ao seu padrão de vida. Assim, um bom planejamento pode ser a chave para a saúde e a segurança financeira de sua casa.

Para implementá-lo, não existe uma regra específica que determine exatamente o que deve ser feito: cada caso é um caso e, sendo assim, você deve estudar o seu de forma específica. No entanto, você não precisa se preocupar em ter que adivinhar como fazer sua própria organização financeira: existem algumas dicas fundamentais para que esse planejamento realmente dê certo, como as que serão listadas abaixo.

  • Antes de começar, defina o que você quer conquistar com essa organização financeira: Sair do vermelho? Melhorar sua qualidade de vida? Conquistar independência? Juntar dinheiro para uma compra específica? Fazer uma reserva? Independente de qual seja o seu, ter ele em mente de forma clara ajudará nesse processo;
  • Conhecido o objetivo, é importante que você conheça o tamanho do problema. Para isso, especialistas indicam fazer uma planilha de controle financeiro pessoal (ensinaremos como fazê-la logo abaixo nesse mesmo artigo);
  • Depois de feita a planilha, está na hora de você interpretar o que há de errado com ela: você gasta muito com coisas que não te garantem retorno financeiro? Possui um financiamento que suga grande parte do seu orçamento?
  • Em seguida, proponha mudanças: com base no que você interpretou das suas finanças, o que você pode fazer para melhorar? Pense em diminuir os gastos com coisas supérfluas;
  • Ao fim, quando você começar a ter algum excedente, não deixe o dinheiro parado: invista! Existem diversas coisas em que seu dinheiro extra pode ser investido: tesouro direto, bolsa de valores, imóveis, entre outros. Se ficar em dúvida do que é melhor para você, consulte um profissional da área;

Quando usar o planejamento financeiro pessoal?

Basicamente, o planejamento financeiro pessoal deve ser usado sempre. Isso é, se você gosta de viver com segurança, de pagar suas dívidas na data certa, de guardar dinheiro para realizar seus sonhos, entre outras coisas que indicam saúde financeira, então você deve seguir um planejamento financeiro pessoal. No entanto, esse planejamento não é estático e deve ser mudado para adaptar-se à sua vida conforme as mudanças.

Como fazer uma planilha de controle financeiro pessoal?

Como dito anteriormente, uma das chaves para planejar sua vida financeira é através de uma planilha de gastos. Nela, você vai poder anotar todas as movimentações que fizer com dinheiro (transferências, compras, pagamento de contas, entre outras coisas). Assim, essa ferramenta é de extrema importância para te manter em dia com o seu próprio dinheiro.

No entanto, assim como não há uma receita de bolo para fazer um planejamento financeiro perfeito, também não existe um modelo único de planilha que atenda todas as realidades do mundo. Sendo assim, você deve construir a sua segundo o que você precisa para atingir suas metas.

Dessa forma, visando te ajudar com essa tarefa, separamos algumas dicas importantes:

  1. Antes de pensar se você vai fazer a planilha em um planner, no excel, em um caderno ou até mesmo por meio de um aplicativo financeiro, é importante que você separe tudo o que possivelmente vai colocar nessa planilha. A dica aqui é: faça uma faxina nos seus documentos, pegue tudo o que for de boleto que ainda não pagou, de contrato, de notas fiscais de bens de valor (moto, carro, casa) entre outras coisas;
  2. Separe tudo o que você tem para colocar na sua planilha em categorias: contas para pagar (uma dica é dividir essa categoria em dívida essencial, como contas de água, luz, telefone; dívida feita por urgência, como as contraídas quando alguém enfrenta problema de saúde; e dívida não essencial, como a parcela de alguma coisa. Ainda, é interessante que você use uma cor para cada uma delas, assim, ficarão mais visíveis na tabela), valores a receber (de salários, dívidas, entre outros), investimentos (cadernetas de poupança, tesouro direto, ações) e bens (casa, carro, entre outros);

Outra dica é separar os lançamentos de contas distintas em categorias distintas;

Além disso, deixe um espaço para que você passe a anotar todos os seus gastos diariamente, assim, você terá mais controle sobre eles;

  1. Uma vez discriminado cada categoria e onde vai cada coisa, é preciso que você escolha onde você vai fazer essa planilha e bote mão na massa;
  2. Com a planilha feita, faça a análise dela e deixe um espaço para suas metas;

Não tenha medo de abusar de cores!

Eu sou freelancer, não consigo ter um planejamento financeiro pessoal: o que faço?

Manter as finanças organizadas já é difícil para os assalariados, mas para quem não tem renda fixa é ainda pior. No entanto, especialmente para essa segunda categoria, é muito importante ter controle dos gastos e das entradas e, assim, conseguir manter as contas em dia e até mesmo juntar um dinheiro que assegure, em caso de doença, a possibilidade de ficar uns dias sem trabalhar.

Dessa forma, se você é freelancer e deseja organizar seu dinheiro, nós temos algumas dicas que podem ser bastante úteis. Confira!

Dica 1: Saiba quanto você gasta para se manter. Com isso, quero dizer um valor mínimo para pagar aquelas despesas que são essenciais, como água, comida, aluguel, condomínio, entre outras;

Dica 2: Construa sua própria planilha para avaliar sua situação financeira (veja quanto você tem de dívidas e quanto consegue fazer por mês, em média);

Dica 3: Pelo menos por um tempo, elimine gastos desnecessários (como pedir delivery todo dia, ir ao cinema com frequência, sair para jantar em restaurantes caros) ou pelo menos reduza-os;

Dica 4: Dê prioridade a pagar suas dívidas antes de fazer novas (por exemplo no seu cartão de crédito, que possui inúmeras parcelas pequenas de inúmeras coisas);

Dica 5: Trace metas mensais para economizar (ter um número para alcançar, um objetivo, facilita bastante persegui-lo. No entanto, atenção: esse valor precisa ser realista);

Dica 6: Faça uma reserva emergencial para momentos em que você precise ficar sem trabalhar. Para isso, separe um pouco do seu salário todos os meses, invista esse dinheiro em algo seguro e que você possa pegá-lo a qualquer momento (o ideal é conseguir juntar 6x o valor que você precisa para passar 1 mês. Portanto, se você determinou que suas despesas básicas custam R$ 2 mil, então sua reserva deve ter R$ 12 mil. Mas não se desespere, esse valor é uma meta, você não precisa ter ele todo de uma vez para começar uma reserva emergencial, é possível começar com qualquer valor);

Dica 7: Não deixe o dinheiro parado: invista! Além da reserva emergencial, é interessante ter algumas economias para que você possa financiar seus sonhos. Mais do que isso, é preciso deixá-las rendendo para que se transformem em mais dinheiro. Por isso, quando você começar a guardar, procure algum investimento que possa te trazer retorno: imóveis, ações, tesouro direto, entre outros. Caso tenha dúvida, procure um profissional da área;

Similar Posts