Finanças

O que é o fluxo de caixa? Como se faz o fluxo de caixa?

Você já ouviu falar sobre o fluxo da caixa? Ainda não? Então não perca a oportunidade de conhecer melhor sobre esse assunto. Continue acompanhando este artigo e entenda a importância desse fluxo da caixa, para que serve, como se faz e muito mais, confira abaixo!

Veja também:
O que são juros simples e juros compostos?
O que é tesouro direto? Como investir corretamente?
Gestão financeira para MEI: Quais são as etapas para fazer

O que é um fluxo de caixa?

O fluxo da caixa é nada mais nada menos que um instrumento de gestão financeira que projeta para períodos futuros todas as entradas e saídas de recursos financeiros da empresa, mostrando como será o saldo da caixa para o período projetado. E é bem muito importante registrar todos os ganhos e gastos, até aqueles menores.

O que é o fluxo de caixa e para que serve?

O fluxo da caixa é algo essencial para manter a empresa crescendo de forma competitiva no mercado. Como eu já falei anteriormente, o fluxo da caixa é um instrumento da gestão financeira que é usado para controlar a entrada e saída de dinheiro. E com esse instrumento é possível realizar previsões de investimento e até mesmo antecipar decisões importantes, como: reduzir as despesas antes que o lucro seja comprometido, planejar ou adiar novos investimentos e negociar prazos junto a fornecedores.

Como se faz o fluxo de caixa?

Então sabemos que essa ferramenta é bastante importante, além de ser um indicador para tomadas de decisões estratégicas, veja abaixo o que você precisa fazer para para montar um fluxo da caixa:

  1. Verificar o saldo inicial da empresa: se caso o seu financeiro esteja desorganizado, será mais difícil verificar o que sua empresa possui em caixa. Depois disso você precisa estipular o período de tempo do seu fluxo da caixa, seja por mensalmente ou trimestralmente. Depois de já ter o saldo inicial da sua empresa em mãos e o período de execução do fluxo, podemos passar para o próximo passo.
  2. Identifique suas receitas e despesas; tendo identificado todas as receitas e despesas que possui, seja qual for, basta colocar essas informações no fluxo da caixa. Assim é possível manter a previsão e organização da entrada e saída de caixa.
  3. Separar suas despesas e receitas por categoria: as categorias podem ser criadas conforme a necessidade da análise, e um exemplo é categorizar cada setor do seu negócio.
  4. Registrar todas as entradas da caixa do período estipulado: outra coisa bastante importante para registrar também é a previsão de recebimento quando parcelado, não só as entradas como também as previsões. Isso pode te auxiliar a ter uma noção melhor de como a empresa estará no próximo mês.
  5. Dá baixa em todas as saídas de caixa do mesmo período: é muito importante lembrar de dar baixa e não esquecer, pois se você esquecer poderá comprometer a segurança da caixa, fazendo que você conte com um valor que não está disponível.
  6. Atualizar sempre o lançamento: busque manter o seu fluxo da caixa atualizado. E para isso, o certo é que esse controle seja feito todos os dias. Dessa forma não tem perigo de deixar o valor importante de fora.
  7. Utilizar o sistema para facilitar a manutenção: e por último, utilize o sistema ou aplicativo para a manutenção do seu fluxo da caixa ficar mais fácil.

O que fazer para ter um bom fluxo da caixa?

Há muitas coisas que você pode fazer para ter o seu fluxo da caixa impecável, como pensar a longo prazo, categorizar a entrada e saída de dinheiro, registrar todas as movimentações, controlar diariamente. Se você já faz tudo isso, acredito que com o auxílio da tecnologia ficará ainda melhor.

Você deve usar a tecnologia ao seu favor, pode ser muito bom. Apesar que é possível fazer o uso do fluxo da caixa por uma planilha de Excel ou um caderno, mas esse não é o procedimento certo que recomendamos para você. Ter a ajuda de um Software auxilia a ter as informações que você precisa em um só lugar, o que pode ser bem mais fácil na hora de tomar decisões.

Similar Posts