Finanças

Como montar um fundo de emergência? Confira!

O fundo de emergência, é uma quantia guardada previamente com o intuito de auxiliar em situações de imprevistos financeiros, como a perda de um emprego, uma emergência de saúde, um baixo rendimento no trabalho que acarretou um salário menor naquele mês, e não cobriu as despesas totais. Desse modo, o fundo de emergência não é para utilizar em qualquer ocasião como promoções, trocas de celulares, apenas em situações emergenciais.

O fundo de emergência varia conforme o padrão de vida de cada pessoa, o emprego, o salário. Assim, ele é estabelecido conforme a necessidade financeira e circunstâncias da vida de cada pessoa. Quer aprender mais sobre fundo de emergência, sua importância e como montar uma reserva de emergência para te auxiliar em emprevistos? Então, não deixe de conferir o artigo.

Veja também:
O que são fundos de investimentos? Tire suas dúvidas
Planejamento financeiro para freelancers: Veja dicas de como organizar
Qual é a diferença entre valor líquido e valor bruto? Descubra

O que é fundo de emergência?

O fundo de emergência, ou como é também é conhecido, reserva de emergência, é um fundo onde se guarda dinheiro para utilizar com imprevistos financeiros, como o desemprego, baixa produtividade, problemas de saúde, quando é necessário comprar uma nova ferramenta de trabalho. Além disso, tem o objetivo de trazer estabilidade e controle financeiro.

Como calcular um fundo de emergência?

Para calcular o fundo de emergência, é necessário considerar o seu padrão de vida, o emprego, o salário, pois a reserva de emergência não tem uma regra específica de cálculo. 

Mas, existe um certo consenso sobre a criação do fundo, assim, uma pessoa que possui uma ocupação fixa, tem mais garantias, sendo recomendado guardar, pelo menos seis meses em dinheiro, de um custo total de vida.

Contudo, para profissionais freelancers e profissionais autônomos, o recomendado é guardar no fundo de emergência, pelo menos doze meses em dinheiro, de um custo total de vida. 

Por exemplo, se uma pessoa tem um custo mensal de 2.000,00 reais, e tem uma ocupação estável, ela deve guardar em média 12.000,00 reais, mas se uma pessoa com esse mesmo custo de vida, é um profissional autônomo, ela deve guardar em média 24.000,00 reais. 

Quanto deve ser o fundo de emergência?

Como mencionado acima, não tem uma quantia especifica, para o fundo de emergência, mas, em média, uma reserva de emergência deve considerar seu custo de vida mensal, e com base nisso, guardar o equivalente a seis meses de um custo de vida total, se for um profissional fixo, e guardar o equivalente a doze meses de um custo de vida total, se for um profissional autônomo. 

Qual a importância do fundo de emergência?

A importância do fundo de emergência reside no fato dele possibilitar conforto, tranquilidade em situações emergenciais, e simultaneamente, proteger o orçamento de problemas ou emprevistos.

Como montar um fundo de emergência?

Compreenda suas finanças

Inicialmente, é necessário compreender suas finanças, e isso pode ser feito por meio de um aplicativo, uma planilha, ou utilizando o método tradicional, anotando em um caderno.

Em seguida, analise suas despesas fixas como aluguel, e variáveis como alimentação, e principalmente, não esqueça de anotar nada, pois, até mesmo aqueles gastos pequenos, que consideramos irrelevantes podem ser os vilões do orçamento financeiro, causando a sensação de que o dinheiro sumiu. Essas anotações, vão auxiliar na tomada de decisões.

Realize alterações no seu orçamento financeiro

Após analisar seu orçamento e observar gastos desnecessários que estão pesando, você pode reduzi-los, para economizar, assim, você vai conseguir separar um dinheiro para o fundo de emergência e ter novos hábitos financeiros, que te ajudarão a alcançar objetivos pessoais.

Defina metas e objetivos

Traçar metas, é essencial para auxiliar na montagem do orçamento, pois além de cumpri-las resultar em motivação, elas funcionam como um propósito que não deixa que as mudanças no orçamento causem a sensação que são em vão.

Assim, você pode definir metas mensais de economia, para chegar ao objetivo de montante financeiro necessário, para montar seu fundo de emergência. Mas, as metas financeiras também podem ser aplicadas para comprar um carro, fazer uma viagem, etc.

Pague suas dívidas

Dívidas, nesse sentido, são aquelas pendentes, mas também, as que você quita de forma parcelada e estão em dia, pois não adianta ter um dinheiro poupado se você possui débitos. Pagar suas dívidas, é essencial para que suas finanças permaneçam em dia, e para que você não tenha que tirar o dinheiro do fundo de emergência para pagar um débito como a fatura do cartão. 

Comece a guardar dinheiro para posteriormente investir

Nesse momento, você deve começar a guardar dinheiro com base nas suas metas de quantia em dinheiro e tempo que você pretende poupar, para posteriormente investir o dinheiro, que será utilizado para montar sua reserva de emergência. Assim, você saberá se é necessário realizar algum ajuste no orçamento, diminuir algum gasto, ou conseguir uma renda extra para chegar as suas metas.

Em seguida, você deve escolher um investimento para aplicar e guardar suas economias, mas antes, é necessário realizar muitas pesquisas, para tomar uma decisão coerente, quanto ao investimento, principalmente considerando a baixa da SELIC, alguns investimentos como a poupança, podem fazer você perder dinheiro para a inflação.

Por fim, vale lembrar que o objetivo principal do fundo de emergência, é estar disponível para utilizar em emprevistos financeiros, por isso, não aplique seu dinheiro do fundo em ações ou aplicações de renda variável.

CDB

O CDB, é um ativo que você investe dinheiro em um banco, como uma espécie de empréstimo para a instituição bancária, e tem um retorno com juros. É um ativo seguro, pois tem a FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que cobre investimentos de até R$250 mil. Assim, se o banco quebrar, seu dinheiro está resguardado.

Para escolher uma boa opção, fuja de grandes bancos, pois costumam oferecer taxas menores, estude muito sobre o assunto para tomar decisões coerentes e opte por um CDB que pague, no mínimo, 100% do CDI.

Lembre-se de optar por uma aplicação que oferta liquidez diária, pois é uma reserva de emergência, e você pode precisar do dinheiro a qualquer momento. Por isso, não esqueça de verificar o prazo de resgate.

Por fim, reserve uma parte do fundo de emergência em um local de fácil acesso, como uma conta digital, sem misturar com o dinheiro que você utiliza no cotidiano. O expediente para realizar resgates e aportes, geralmente, é de segunda a sexta, então se você precisar com urgência do dinheiro no final de semana, não conseguirá resgatar, por isso tenha um valor, em um local acessível.

Tenha disciplina

A disciplina, é um comportamento essencial para montar um fundo de emergência, por isso, mensalmente guarde o dinheiro estabelecido na meta, e se não conseguir, guarde o que puder, até chegar em seu objetivo final.

Qual a importância do fundo de emergência para o freelancer?

A renda de um profissional freelancer não é fixa, pois, depende da produtividade do profissional e da quantidade de trabalhos disponíveis para realização. E ter um planejamento financeiro, possibilita compreender os limites das despesas mensais, com base no salário mensal médio.

Com isso, também é possível montar o fundo de emergência, para situações financeiras desfavoráveis.

Qual a finalidade?

Durante todo o texto, foi demonstrado a importância do fundo de emergência, para a tranquilidade e estabilidade financeira, principalmente em ocasiões de emprevistos financeiros.

A finalidade do fundo de emergência, é ter uma vida mais estável e controlada financeiramente, e em momentos de imprevistos financeiros, não ser necessário contratar empréstimos, realizar gastos excessivos no cartão de crédito, e alterar de forma negativa a situação financeira. Mas também, estimular hábitos financeiros saudáveis, sem gastos ou despesas supérfluas e dívidas.

Similar Posts